Pra te lembrar...

Com essa letra digo tudo.
Pra te lembrar
Nei Lisboa

O quê que eu vou fazer pra te esquecer
Sempre que já nem me lembro lembras pra mim
Cada sonho teu me abraça ao acordar
Como um anjo lindo
Mais leve que o ar, tão doce de olhar que nem um adeus pode apagar.
O quê que eu vou fazer pra te deixar sempre que eu apresso o passo passas por mim
E um silêncio teu me pede pra voltar ao te ver seguindo
Mais leve que o ar, tão doce de olhar que nem um adeus pode apagar.
O quê que eu vou fazer pra te lembrar
Como tantos que eu conheço e esqueço de amar
Em que espelho teu sou eu que vou estar
Ao te ver sorrindo, mais leve que o ar tão doce de olhar que nem um adeus pode apagar.

 
 

Coisinhas.

amor.sorriso.beijo na boca.rir até a barriga doer.dormir muito.sorrir. banho de chuva.comida de mãe.abraço de pai.carinho de amigo.dançar até cansar.uma palavra de consolo.dormir abraçado.chocolate.tardes de verão. por do sol. edredon no inverno.vinho tinto no inverno. branco no verão.um abraço apertado.amigos.música pra dançar.banho demorado.tardes de verão. noites de inverno.sopa.salada.carinho.chuva.rir.morrerderir.banhode chuva.apaixonar.muito.muito.muito.
Algumas coisinhas que me fazem feliz. Só algumas.

 
 

Aprendendo.



Findi em casa, mas com algumas constatações feitas.
Engraçado sabe, eu só realmente consigo escrever quando acontecem coisas que me marcam muito, tipo situações que me deixam ou muito feliz ou muito triste.
Não vou colocar aqui o tipo de situação que me fez sentar e escrever, no caso nem merecia tanto a minha atenção, mas eu sou assim penso o suficiente por todas as minhas gerações.
Tudo o que eu queria, mudar...e não valorizar tanto pessoas e situações que não merecem.
As relações estão ficando cada vez mais superficiais, certos tipos de relacionamentos são descartáveis, meu primeiro post foi sobre amizade, de como conhecemos pessoas, de amigos de infância, de amigos na maturidade, de como eles entram em nossas vidas e chegamos até a pensar que eles ficarão por muito tempo. Mas sabe, não é assim, realmente precisamos de tempo para conhecer, para saber como é o outro, e o que ganha é o Tempo.
É isso, o tempo.
O tempo de convivência, de proximidade, de cumplicidade, não a empatia imediata, essa passa, é superficial, ela dura o tempo de algumas festas, algumas risadas, alguns segredos trocados. E só.
E sabe o que é pior? Eu já passei por isso mais de uma vez, já sabia como era, e mesmo assim faço novamente.
Bom, mas não vou colocar a minha situação em pauta, apesar de ter sido ela que me fez parar e pensar, gostaria de colocar aqui tudo o que me incomoda, que me faz ficar triste, que me chateia, me aborrece, que me magoa. No momento queria sair gritando por ai!
Sinto falta de alguma coisa que não sei o que é... algo ta faltando, e eu tentando preencher com as pessoas erradas. Na real elas nem teriam culpa, porque não estão mesmo interessadas nisso.
Não as culpo. Só dói. Dói muito.
Ouvi uma coisa agora... que tenho que deixar pra trás isso tudo e pensar em mim, ser egoísta mesmo, não tentar preencher um espaço vazio com outro vazio. Sentir falta de algo que não aconteceu, ou de alguém que com certeza não tem os mesmos sentimentos que eu.
Viver mais como um “adulto” não como uma criança que espera sempre a felicidade e a cumplicidade total.
Parece cruel, e é.

Ontem escrevi que estava tentando ser outra pessoa, às vezes penso em como seria.
Amanha é segunda, semana nova, coisas novas pra pensar. Quem sabe tudo não muda não é?
É o que queremos sempre, mudanças.

Vou encerrar com um trecho de um texto que gosto muito, infelizmente não sei o autor, mas fica a mensagem.


“...Aprendemos que, por pior que seja um problema ou situação, sempre existe uma saída. Aprendemos que é bobagem fugir das dificuldades.
Mais cedo ou mais tarde, será preciso tirar as pedras do caminho para conseguir avançar. Aprendemos que perdemos tempo nos preocupando com fatos que muitas vezes só existem na nossa mente.
Aprendemos que é necessário um dia de chuva para darmos valor ao Sol, mas se ficarmos expostos muito tempo, o Sol queima. Aprendemos que heróis não são aqueles que realizam obras notáveis, mas os que fizeram o que foi necessário e assumiram as conseqüências dos seus atos.
Aprendemos que, não importa em quantos pedaços nosso coração está partido, o mundo não pára para que nós o consertemos.
Aprendemos que, ao invés de ficar esperando alguém nos trazer flores, é melhor plantar um jardim.
Aprendemos que amar não significa transferir aos outros a responsabilidade de nos fazer felizes. Cabe a nós a tarefa de apostar nos nossos talentos e realizar os nossos sonhos. Aprendemos que o que faz diferença não é o que temos na vida, mas QUEM nós temos. E que boa família são os amigos que escolhemos.
Aprendemos que as pessoas mais queridas podem às vezes nos ferir. E talvez não nos amem tanto quanto nós gostaríamos, o que não significa que não amem muito, talvez seja o máximo
que conseguem. Isso é o mais importante.
Aprendemos que toda mudança inicia um ciclo de construção, se você não esquecer de deixar a porta aberta.
Aprendemos que o tempo é precioso e não volta atrás. Por isso, não vale a pena resgatar o passado. O que vale a pena é construir o futuro. O nosso futuro ainda está por vir. Então aprendemos que devemos descruzar os braços e vencer o medo de partir em busca dos nossos sonhos.”
Bom inicio de semana a todos.

 
 

Pensando bem.


Pensando bem .... muito melhor estar sozinha... ou com poucas pessoas que valem a pena... do que com algumas que só estão perto por interesse.
E como diz Edson Marques, meu eterno guru.
"Não quero nem saber se existe uma luz no fim tunel... quando entro nele ja acendo a minha."
Bom domingo pra todos.

 
 

Tem coisas que não tem como explicar.



Um sentimento repentino, uma dor inexplicável, um amor incontrolável.
As coisas nunca são como gostaríamos que elas fossem, vai ver porque NÃO queremos mesmo que sejam.
Durante muito tempo acreditei no destino, que tudo está escrito. Não acredito mais, tudo que fazemos é um reflexo de nossas escolhas,TUDO.

Então porque sempre fazemos as mesmas coisas? Mesmo sabendo que está errado, vira e mexe,tudo de novo.
Não sou mais uma menininha, que acredita que pode tudo... não sou mais a tempos.
E mesmo assim ainda tem coisas e pessoas que me entristecem profundamente. Como se eu tivesse 12 anos, e nem sei como. Será que não sou eu que escolhe isso?
Me perguntaram uma vez, quando eu havia ficado assim, essa mulher que não tem medo de sofrer, que faz tudo que o coração e os sentimentos mandam, sem pensar.
Eu pensei, e sabe que me lembro? Durante algum tempo na minha adolescência eu não era assim, pensava, e muito...
Tenho uma certa saudade dessa minha "maturidade" juvenil... estranho né... nessa idade normalmente somos inconstantes, ousados, eu não era...
Eu pensava, e muitas vezes não fazia certas coisas, era madura demais pra minha idade até...
Agora não... o tempo é implacável, ele voa. E parece que tem coisas que não podemos deixar de fazer.
Mas isso é bom? sabe que antes achava que era, agora não sei mais.
Confesso que penso muito, em tudo, não só em mim, mas em tudo e todos mesmo, devia ter feito filosofia não Relações Publicas...to sempre tentando descobrir os porques de tudo... e se não descubro, frustração. Ruim isso.

A vida é boa, muito... resto-nos escolher vivê-la ou não. E a maneira que vamos fazer isso é que faz toda a diferença.