Pessoas e Pessoas.


Inicio de semana, dia lindo hoje. Sol, frio, tudo que eu amo.
Tinha escrito um post no fim de semana, apaguei ontem. Quem leu, leu. Quem não leu... melhor, tava ridículo.
Porque ridículo? Porque escrevi, no calor das emoções. Pra variar.
E hoje então, gostaria de falar de pessoas.
Não de alguém em específico, mas no geral.
Pessoas são estranhas, o ser humano é estranho. Sofre, fica feliz, com raiva, chora, ri, grita, berra, resmunga, chinga, brinca, uma profusão de sentimentos, que nem em um milhão de anos, e um PHD em psicologia, psiquiatria, antropologia e todas as "ias" poderiam explicar,
Coisa interessante isso... e mesmo assim, muitas pessoas ainda tentam explicar algumas questões da psiquê humana. Coisas do bicho homem, claro, eternamente questionador.
E porque? Para dar uma explicação a certas atitudes? Para ter certas respostas? Quem nunca errou, ou explodiu, ou ficou com raiva que atire a primeira pedra. Quem nunca falou mal de alguém, ou criticou sem ao menos saber sobre o que estava falando que levante a mão.
Pois é, somos HUMANOS. Temos defeitos, qualidades, e outras cositas más ainda inexplicáveis ao mais sábio dos peritos.
Eu não sou PHD, ou uma estudiosa no assunto, mas tento entender algumas coisas, e com certeza, ouço tudo e absorvo da melhor maneira possível. Algumas coisas, coloco em algum cantinho obscuro do meu cérebro, algumas passam à ser prioridade, outras nem me dou ao trabalho de gravar, lixo direto.
E sabe porque? Porque não me acho dona de nenhuma verdade, não mesmo, tenho meus arroubos, "personalidade forte", alguns dariam outra denominação menos elegante, à os que não tolerem pessoas assim, mas estou sempre tentando ser melhor do que ontem, e quem sabe amanha eu acorde me achando melhor do que hoje.
Pessoas que tentam explicar comportamentos, que criam teorias, debatem muito, criticam mais ainda, o que ganham? Na minha opinião, solidão, e um sem fim de rugas.
Tudo bem, todos temos o direito de escolher quem deve ou não permanecer na nossa vida, é o livre arbítrio, muito justo. Quem não nos faz bem, realmente não deve fazer parte dela.
Na vida chega uma hora que realmente escolhemos quem queremos por perto, e se pensarmos bem, ficam poucas pessoas, de que adianta uma agenda cheia de números de celular, uma lista interminável no msn, se você não tiver um amigo para conversar, para um simples café, ou mesmo para discutir... é discutir, discordar de você.
Uma coisa é certa, aprendi que de nada adianta ser cheia de teorias, muitas experiências, e blá blá blá se estamos sozinhos.
Tenho sorte, tenho pessoas que realmente posso chamar de amigos, poucos, mas fiéis, sem máscaras, sem preconceitos, sem julgamentos, se erramos, estamos aí, juntos e tentando sempre encontrar um jeito de levar essa vida maluca.
Há que se ver o contexto, não os fato isolados... não é? Então... vejamos tudo, mas tudo mesmo, para depois de um tempo não constatar que tudo poderia ter sido diferente, tanto na vida, nas amizades e nos amores...
Porque ninguém é tão certo que nunca tenha errado, e nem tão errado a ponto de não ser entendido.

 
 
 
 

Postar um comentário 1 comentários:

Paula disse...

oi estive aqui hoje...beijocas...

19 de maio de 2008 20:45

Postar um comentário