Depois dos 30.


Lendo o texto da Tati....e agora refletindo mais sobre o tema, é mesmo, eu como ela pensei que aos 30 muita coisa seria diferente, pensei que já teria feito tudo, a primeira lógico, era que eu já estaria casada, amasiada, juntada, sei lá, mas que já teria minha cara metade. Pensei que já teria um filho, uma casa, que não precisaria me preocupar com grana, essas coisas triviais de "adulto", sim, porque quando eu tinha 19 anos, pensava que aos 30 eu já seria grande coisa.
Pior, muita coisa continua igual, (meu manequim por exemplo, ainda 36 graças ao bom Deus),algumas mudaram, eu me formei, tenho um emprego razoável, apesar de não fazer ainda algo que eu realmente goste, já conheci alguns lugares, já conheci muita gente interessante, outras nem tanto, mas e o resto? Ainda faltam muitas coisas.
Puts, lendo o texto dela me dei conta que uma delas é que também não tenho mais saco pra essas saídas pra literalmente caçar, tá certo, nem sempre é com essa intenção, as vezes é pra relaxar jogar conversa fora, rir um poco.
Bom, mas quem to querendo enganar? A mim? Deve ser, eu as vezes me forço a sair mesmo, senão corro o risco de ficar solteira, uma velhota solteira, rodeada de cachorros, sozinha num ap.
Não! Isso não! Até gosto dos bichinhos, mas ficar igual a Brigitte Bardot, nem morta!!
Então saio, faço a minha social, caras e bocas que não são minhas, o modelito de arrasar e vamo lá!
Ta cheio de gurias por ai, aqui no Sul então, a concorrência é acirrada, uma mais alisada que a outra, mais maquiada que a outra,bronzeadas em pleno Inverno, todas lindas, parece que saíram de revistas e editoriais de moda. E pior, dispostas a batalha, porque na noite o que rola é quase isso.Elas de um lado, eles de outro, eles dizendo que "nós" escolhemos, nós dizendo que "eles" pegam a que quiserem, no final, todos sozinhos.
The game of love!!!
Eu já tive uma fase de "passar o rodo" como disse a Tati, e não me arrependo, já fiz loucuras que até o Diabo arrepiaria os cabelos, mas agora não, quero algo mais tranqüilo, tipo filme Europeu sabe.
Nem sei como, parece que o mundo inteiro resolveu sair a caça, todos os tipos de personagens andam por ai, e há táticas para o combate, é, táticas, não falar isso, não repetir aquilo, não ligar, fazer que não tá nem ai, fingir que não se importa... Aiiiii... muita coisa pra decorar.
Eu só queria alguém que gostasse de cinema, de filmes europeus, (aqueles bem complicados), de frio, de vinho tinto, de ficar em casa, de cachorros, de futebol, de tomar uma sopa, de música, de tango, de dançar, que gostasse de as vezes fazer nada, e ficar em silêncio, de falar bastante, quase tanto quanto eu, de serra, de livros, de viajar, de cozinhar, (porque eu não gosto muito), de música dos anos 80, de chopp gelado, de buteco, de restaurante bem pequeno, daqueles que só cabem umas poucas pessoas, de comida japonesa, de feijoada, de sair com os amigos, e que principalmente, goste de mim.
Do meu jeito meio atrapalhado, da minha mania de dizer tudo que me vem na cabeça, do meu ciúme (sim eu tenho) , do meu jeito 8 ou 80, das minhas manias.
Pedi muito né? Quem não queria tudo isso.
Na boa, não sei se quero mesmo ficar me acotovelando em festas que as vezes nem quero ir, pra ver se arrumo alguém, também não acredito mais no destino, porque ele já me levou pra lugares que nem gosto de lembrar.
A gente é que faz o nosso destino, a nossa vida, e o caminho que trilhamos com certeza é o que escolhemos. Nada dessa besteira de tudo tá escrito.
Nisso não acredito mais.
Enfim, pensei que muita coisa mudaria aos 30, mas to vendo que não, então, vou continuar saindo de vez em quando, curtindo umas festinhas aqui, outras ali, e quem sabe numa dessas não aparece alguém.
Vai saber.

A vida é tão doida mesmo.

 
 
 
 

Postar um comentário 0 comentários:

Postar um comentário