Foi chegando de mansinho, tomando o lugar que lhe era de direito.
Com toda a calma do mundo, falou, tocou, cheirou, mordeu, sua vida agora dependia daquilo, tudo era novo, como se nunca tivesse existido antes daquele momento, sentiu que todo o tempo que esteve vivo, era à espera daquele instante.
Queria mais, queria tudo. Não se contentava mais com o pouco com que estava acostumado, agora sabia o que era ser feliz, sabia o verdadeiro significado da palavra prazer.
E se manteve ali , ouvindo sua respiração, seu coração palpitando, inquieto, vivo e Feliz.
Feliz pelo simples fato de estar naquele lugar, vivendo aquele momento.
Se morresse naquele instante, morreria feliz.

Isso era viver. Agora sabia o que era viver.

Qualquer coincidência é pura semelhança.

 
 

O dia lindo e o céu azul me enchem de alegria, amigos, familia, uma sensação de leveza, e uma certa dose de ansiedade, até gosto dessa ansiedade positiva, me sinto como uma criança, prestes a conhecer algo novo...
Um vento com cheiro de flores sopra forte aqui no Sul, varrendo todos os pensamentos e coisas ruins, o vento me dá essa sensação de novidade, leva o velho, traz o novo.
Gosto desse sentimento, do novo...
Não quero mais me angustiar ou entristecer com situações e pessoas que me fazem retroceder.
Todos temos momentos ruins, é fato, mas devemos escolher o que nos faz bem, e o que nos empurra para baixo.
Quero subir cada vez mais, e quem quiser vir comigo, é só me dar a mão...

 
 

O ser humano é por natureza insatisfeito, quando tudo está calmo, reclama, quando está tumultuado, também.
Se tem trabalho acha ruim levantar cedo, ganhar pouco, se não tem, também.
Se esta casado, reclama do parceiro(a), que queria estar só para fazer o que quisesse, se está solteiro, queria ter alguém, pra casar, ter filhos.
Enfim, a lista é grande, e porque?
Sei que é dificil ser 100% sempre, feliz sempre, otimista sempre, com certerza não da.
Mas da pra tentar, eu mesma, algumas vezes não consigo, tem dias que nem eu me aguento, mas conheço pessoas que nasceram para reclamar, serem mal humoradas e amargas.
E ja notei que normalmente essas pessoas tem uma certa facilidade para conseguir tudo, vem fácil, vai fácil, me parece as vezes que deixam acontecer, para ter do que reclamar.
Em compensação, muita gente que conheço que batalha, que luta para ter as coisas que quer, não reclama, são alegres, estão sempre de bom humor e riem das coisas mais simples, sendo felizes com o que conseguiram, principalmente por terem lutado muito por aquilo.
Parece meio bobo, tipo receita de auto ajuda, mas se olharmos mais friamente, é simples, e quando nos damos conta disso... fica realmente muito mais fácil.

 
 

Para que tentar entender tudo.
Se muitas vezes é no inexplicável que está a resposta, e ela pode estar bem na frente do nosso nariz.
É só olhar com atenção.

 
 

Nem sempre podemos ser entendidos e aceitos por todos.
Mas se pelo menos 1% de todos os meus "conhecidos" me admirarem e me usarem como exemplo, ja me dou por satisfeita.
Minhas atitudes e palavras até podem ser esquecidas, criticadas ou julgadas. Tudo bem.
É assim que tem que ser, quero que tudo que eu faça ou diga seja lembrado, de alguma maneira.
Pior seria passar em branco, transparente.
Eu escolho o frio na barriga, a curiosidade, a dúvida do novo e do incerto.
"Porque não estou aqui para esclarecer, estou aqui para confundir."
Adoro essa frase.

 
 

Ele fala por mim.


Nas questões do Amor, há quem prefira relâmpagos e há quem prefira luzes menos fortes, menos brilhantes. Quem prefere relâmpagos procura pessoas relâmpagos. E quem gosta de luz meio mortinha, também vai achar alguém que gosta de luz meio mortinha.
Pois, como dizia minha vó Vitalina, não existe panela sem tampa.
Não acho errado quem troca a aventura e a liberdade pela segurança. Tem gente que não gosta de grandes emoções.
É uma questão de preferência. Tem gosto pra tudo. Respeitemos as diferenças!
Relâmpagos brilham muito e duram pouco: é da sua natureza.
Mas, até mesmo a luz meio mortinha — um dia também se apaga.
Às vezes dura mais, às vezes dura menos, mas também se apaga...
É fatal.
Edson Marques

 
 

Escrever sobre sentimentos é fácil... o dificil mesmo é dominá-los.
Cada pessoa que converso tem uma teoria a respeito de sentimentos, e cada uma sempre tenta comprovar como a "sua" maneira de lidar com as emoções, é a mais certa, a mais fácil, a menos dolorosa e por aí vai.
Mas quem possue o segredo? Porque cada ser é um, como fazer uma regra a respeito disso?
Resposta: não há como.
Cada um sabe a "sua" melhor maneira, não existem regras pra isso.
Deixemos as teorias para os eruditos, ou os que pensam que são.
O ideal, e o mais lógico, é SIMPLIFICAR.
Adoro isso. rs

 
 

Amor e amizade.
Existem semelhanças entre esses dois sentimentos que são tão fortes na vida de um ser humano?
A amizade acompanha o amor, mas o amor não acompanha a amizade, pelo menos não sempre.
São sentimentos totalmente distintos, o amor é quente, passional, forte, muitas vezes até conturbado, tira o sono, faz perder a cabeça....
A amizade é terna, tranqüila, (ou pelo menos era para ser), divertida, pode ser acompanhada de algumas brigas, mas que depois tem, e devem, se tornar motivo de riso.
E porque então, se complica tanto em ambos os casos? Porque estamos sempre tentando achar algum problema, alguma falha, algum defeito.
Algumas semelhanças até existem nos dois sentimentos, neles se quer mudar, se quer dominar, se quer exclusividade, claro, não vou generalizar, sempre gosto de deixar isso claro, sempre existem as exceções, e conheço muitas.
E conclusão, TODOS nós, alguma vez já fizemos isso. Tanto no amor, como nas amizades.
As relações de hoje são assim, se busca uma perfeição inexistente, isso é utópico, e doloroso.
Vivemos no limite, no limite da paciência, da tolerância, da incredulidade, de tudo.
E para quê? Para parecermos mais cultos, mais descolados, mais sabidos, mostrar que não sofremos, que escolhemos o que nos faz feliz.
Afastamos pessoas, pelo simples fato de serem diferentes, de terem opiniões diferentes, de terem gostos diferentes.
No amor, medo de sofrer, de ter que mudar, ter que optar, na amizade, ter que fazer o que não se gosta, falar do que não gosta, sair com quem não gosta, sem nem tentar conhecer.
Nem sempre é bom ouvir, certas verdades doem, mas certas pessoas, os amigos e os amores, estão ai, dentre outras coisas, para isso, para fazer-nos enxergar e descobrir coisas que antes não conhecíamos, ou mesmo, se já conhecíamos, nos fazer olhar de uma maneira diferente, sob uma perspectiva diferente, é isso que faz a diferença.
E é por isso que existem pessoas especiais, que vão ficar para sempre, com brigas e algumas lacunas, e outras não, porque algumas nos fazem crescer, e sermos pessoas melhores e outras... não.

 
 

Frase do dia:

Não vim para esclarecer... vim para confundir.



Ótima!

 
 

A vida é cheia de surpresas mesmo.




Se fosse um filme, seria dirigido pelo Tarantino com roteiro de Woody Allen. Crazy!



Nele só mudam os protagonistas.



Claro, tem gente que nasceu para coadjuvante. E assim vai permanecer...

É, simples.