Pessoas entram e saem de nossas vidas num piscar de olhos, estamos rodeados de "amigos" que parecem que sempre estiveram ali, como amigos de infância mesmo, muitas ligações, saidas semanais, segredos trocados que fariam corar o mais devasso, teorias, elogios, cumplicidade.
E derrepente, tudo termina, como o trailler de um filme, curto e intenso, fica-se sabendo de tudo em um piscar de olhos, o inicio do fim.
Ruim? as vezes sim, as vezes não. Diria que tudo depende do ponto de vista.
Mas como tudo, existem as excessões, as vezes conheçemos pessoas, que mesmo em um curto espaço de tempo, tornan-se realmente indispensáveis, e num certo dia acordamos e nos damos conta, que ja não vivemos mais sem elas.
Elas passam a fazer parte da nossa vida, muitas vezes, mesmo estando longe.
Estou aprendendo que as pessoas mais importantes, são aquelas que menos esperamos, e em muitos casos, a que damos menos valor, seja porque nem sempre estão perto, seja porque achamos que são muito diferentes da gente.
Na verdade, o que conta não são somente as igualdades, mas sim, as diferenças, muitas vezes são elas que nos aproximam mais, porque não adianta gostar das mesmas coisas, falar das mesmas coisas, ir aos mesmos lugares, ler os mesmos livros, se depois disso tudo, não tiver o que falar, debater, discordar.
Isso mesmo, discordar, esse, para mim é o segredo. Não discordar de brigar, mas sim de discutir, avaliar, debater, é praticamente um afrodisíaco mental.
Faz, acender a alma, queimar o coração.
Uma relação seja ela de amizade, ou não, se faz com coisas boas, alguns momentos ruins, diferenças, igualdades, debates acalorados, risadas e até algumas lágrimas.
Mas acima de tudo, se faz com SINCERIDADE.

 
 
 
 

Postar um comentário 4 comentários:

Alisson da Hora disse...

Concordo inteiramente contigo... algumas pessoas que eu imaginei indispensáveis até a uns dois anos atrás acabaram me decepcionando feio, e eu aos poucos fui me afastando. Depois a gente percebe que na verdade tudo foi um tremendo fogo de palha, e que, apesar de alguns bons momentos, o que sobrou da contabilidade da amizade foram apenas alguns sorrisos e muitas besteirinhas...Quando a gente passa pelos dias selvagens é que nós vemos aquelas pessoas que têm realmente medula para nos doar consolo e carinho, e até uns puxões de orelha bem colocados...E aí não importa a distância...a atenção dispensada pelo longe pode ser mais eficaz do que um abraço desapertado de perto...

beijo na testa ;)

20 de outubro de 2008 12:59

Melsavinon disse...

Faz, acender a alma, queimar o coração.
Concordo. Pena que as vezes ter amigos seja dolorido...pela ausencia,distancia ou até coisas piores...deixa assim...

20 de outubro de 2008 19:45

Layla Lauar disse...

eu nem sei o que me leva a gostar de alguém.. não escolho meus amigos por afinidade, nem por aparência..apenas uso meu sexto sentido, gosto à primeira vista à primeira palavra ...e até hj só uma única vez fiz uma escolha errada...

no mais amigos para mim, reais ou virtuais, são para todo o sempre...

muito bom mesmo o seu texto!

20 de outubro de 2008 23:35

Ciça disse...

Olá!!!

Sim, há pessoas que jamais perderão seu lugar em nossas vidas.
Mas acho que mais difícil do que discordar com sabedoria, é dosar dîscordância com concordância, e ter uma relação saudável e feliz.

Mas é claro, amizades verdadeiras tem como base a confiança, e essa realmente jamais se abalará, mesmo com diferenças de pensamento, de opiniões e sentimentos diante da vida.


Beijinhos

21 de outubro de 2008 09:10

Postar um comentário