Como prender um coração que é livre, que sente e faz o que quer.
Sem amarras, sem cobranças, sem mentiras ou verdades inventadas.
Que ri, chora, sofre, se emociona e bate de acordo com sua vontade.
Ninguém aprisiona um coração assim.

Ele precisa de algo que o faça bater forte, vigoroso, pulsante como a vida que lhe faz vibrar.

E se encontra alguém que o faça feliz, como recompensa lhe oferta tudo que de mais precioso nele existe...

O amor puro e verdadeiro.

Sem preconceitos, ou regras... somente amor... paixão, e a intensidade de algo que queima, como brasa.

Com certeza cada um sabe seus limites, e o que faz seu corpo tremer e seu coração disparar...causando aquela sensação de bem estar, e felicidade somente pelo fato de estar vivo.

Isso é amor...

Se vem acompanhado de angústia, dor, ansiedade, ciúme.... com certeza não é.
E se você precisa desses sentimentos para viver, ou ainda, vive com esse sentimento, por escolha ou comodismo, reveja seus conceitos e sua vida, com certeza vai achar algo errado...

"Lamentar uma dor passada, no presente, é criar outra dor e sofrer novamente."


William Shakespeare







 
 
 
 

Postar um comentário 8 comentários:

Alisson da Hora disse...

É bom ter esperança de alguma coisa. Sempre.

Complicado é quando a gente acaba sendo racional demais, o que não é o seu caso, evidentemente.

beijo grande, com cara de sexta-feira...

a.h.

21 de novembro de 2008 18:45

tossan disse...

Eu vou deixar a vida me levar...
E assim é que todos vivem, é uma peça do rotor. Bj

21 de novembro de 2008 19:30

edson marques disse...

Belíssimo texto!


O amor tem que ser livre.

Pois, se não for, como seria, então:

Amor preso?

Encarcerado, acorrentado?!


Abraços, flores, estrelas..

22 de novembro de 2008 00:04

lis disse...

Pois é, Renata, sei lá...ando tão "meio assim" que nem sei, rsss.

Bonito teu texto.

Beijos

22 de novembro de 2008 00:42

D.Ramírez disse...

Que lindas palavras, e acredite, tbm penso assim. Amor com dor ou raiva, sei lá, não é amor.
Costumo dizer que amor não é sentimento é SER. É como abrir e fechar os olhos, andar, respirar. Sentir é ódio, raiva, dor..amor não. Amor é amar e ponto.
Adorei muito seu texto.
Besitos

22 de novembro de 2008 12:51

meus instantes e momentos disse...

parabens pelo texto, parabens pelo blog. de verdade...
Maurizio

23 de novembro de 2008 07:08

Marcos Campos disse...

Olá Renata!!
Para se aprisionar um coração, só tem um jeito: dê lhe liberdade.
Mais um belo texto, gosto de ler o que vc escreve!
beijo!!

23 de novembro de 2008 18:09

Gaby Soncini disse...

Verdadeiro e belo post.

Parabéns !!!

Grande beijo.

24 de novembro de 2008 10:50

Postar um comentário