Os olhos perdidos em um ponto qualquer. Alguma coisa estava fora do lugar.
Mas não sabia dizer o que era.
As cores, os cheiros, os sons, as vozes... tudo era abstrato.
Hoje, especialmente hoje, poderia ter escolhido um lugar qualquer para ficar, atravessar ruas, cruzar oceanos, atalhar caminhos, qualquer lugar, seria somente um lugar.
Não se importava.
Nem as conversas, nem as pessoas, nem os sorrisos forçados,(que davam enjôo) nem os elogios sem conteúdo. Nada.


Prefiria sempre, a insegurança do incerto, do que a certeza do seguro.



 
 
 
 

Postar um comentário 10 comentários:

Alisson da Hora disse...

as distâncias, os sons, cheiros...

e sempre a incerteza, apesar de certas seguranças...

beijo

25 de novembro de 2008 14:17

Gaby Soncini disse...

Disse tudo.

Que maravilhoso !!!

Adorei.

Grande beijo.

25 de novembro de 2008 20:49

Melsavinon disse...

Guria!
Boa semana pra ti também!
Sempre bom passar aqui e te ler um pouquinho!!!
Beijos...

25 de novembro de 2008 22:54

Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos disse...

Isso nos lembra uma frase:"O navio é seguro quando está no porto. Mas não é pra isso que se fazem navios"
Beijocas,

26 de novembro de 2008 08:18

O Profeta disse...

Sou palavra perdida no silêncio
Gerada no ventre do Mar
Grinalda de perdidos sonhos
O passado do verbo amar

Amei!
Voar na chegada de cada Primavera
Pintar de luz as cores do verão
Pisei o tapete das folhas de Outono
Acendi em cada inverno uma fogueira de paixão


Convido-te ao encontro com o meu “Eu”


Mágico beijo

26 de novembro de 2008 10:02

D.Ramírez disse...

Acho que quando se sente assim, melhor ficar só, sem ninguém perto, ausente, só olhando o infinto e descansando a cabeça. Certezas não teremos nem em um nem em outro ponto, mas vivemos e caminhamos, isso q importa;)
Besitos

26 de novembro de 2008 17:48

edson marques disse...

Assim como você, suponho:

Prefiro um porto alegre a um porto seguro.


Teu comentário deixado ontem no blog Mude está delicioso!


Abraços, flores, estrelas..

26 de novembro de 2008 19:26

Marcos Campos disse...

Olá Renata!!
mais um post bem legal...a insegurança sempre está conosco, mesmo quando achamos que tudo está estável...uma fé muito cega a respeito das coisas é perigoso..
Beijo!

26 de novembro de 2008 23:04

tossan disse...

Pensamos o que? Que somos os infalíveis? Não... amamos e sofremos, e dai? É assim mesmo. Nada faz diferença, vamos continuar, o novo nos atrai e por que não? Bj

27 de novembro de 2008 23:57

Postar um comentário