O cheiro ainda estava em sua pele. Mesmo que quissese não conseguiria esquecer.


Sua vida sempre havia sido fora dos padrões, não poderia ser diferente com seus amores.

Os mais loucos, os mais insanos, os mais devastadores.

Carregava o gen da loucura, da volúpia, do desejo incontrolável da paixão.


Seu corpo pulsava, tremia.

O suor ainda grudado no seu corpo, persistia. E aquele cheiro a enlouquecia.
A voz em seu ouvido. A lingua em sua boca.

Como poderia resistir. Era sua perdição, ela sabia.


O corpo exausto estendido na cama. A força. A vontade. O desejo.


Todas as suas decisões sempre caiam por terra quando ele aparecia.


Esquecia tudo. E deixava-se levar por seus desejos, suas loucuras mais íntimas e mais secretas.

Ele a conhecia, cada cantinho obscuro de seu corpo.




Sua fraqueza? Sim.


A mais deliciosa delas, e também a mais letal.


 
 
 
 

Postar um comentário 16 comentários:

Érica disse...

huuumm... Dessa fraqueza eu padeço.
Gosto disso, acho tudo muito natural, os desejos, prazeres, esse da carne como dizem por ai, mas que na minha opinião é carregado de emoções e sentimentos... Complemento.
Me reconheço nessas tuas escritas. Adoro.
Beijos

28 de julho de 2009 16:06

Tata disse...

Oi Rê,

Vc escreveu uma coisa que realmente é verdade....
"Sua fraqueza? Sim.
A mais deliciosa delas, e também a mais letal "

Como não se render diante do nosso ponto fraco? O amor, o ser amado!!!

Lindo!!

bjinhos

28 de julho de 2009 16:08

CASSIANE disse...

Oi

Gostei do desenho do texto.
A forma do texto incorpora as emoçoes que ele revela.
Intenso. Muito bom!

Abraços

28 de julho de 2009 18:03

...... disse...

Eis o germe da promiscua e necessaria indecência, o combustivel ácido de pura e descontrolada intensidade, uuii!

28 de julho de 2009 18:27

Sun disse...

"Ele a conhecia, cada cantinho obscuro de seu corpo."

Acho que o problema está exactamente aí. Quando a mulher se entrega, se entrega por completo...Ao fazê-lo, torna-se mais vulnerável, mais frágil, torna-se pó diante dela mesma.
Mas o que havemos de fazer?
Não há meias medidas quando o assunto é o amor.


beijo meu anjo

28 de julho de 2009 20:06

Ruberto Palazo disse...

Que loucuraaaa...

Mas me diga, quem não tem fraquezas? Qualquer dia te conto as minhas...rss

beijos

28 de julho de 2009 22:40

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Renata! Carregava o gen da loucura, da volúpia, do desejo incontrolável da paixão.

Lindo, muito profundo. Parabéns!

Dá uma passadinha lá, pois tem uma boa dica de leitura. Não sei se faz o seu gênero.

Beijos,

Furtado.

28 de julho de 2009 23:34

Barbara disse...

Paixão é letal e enfraquece sim.
Ato voluntário?
Nunca se sabe.
Só se descobre depois do "letal estado".

29 de julho de 2009 00:45

Marcos Campos disse...

Oi Renata!!
Quem não tem essa fraqueza?
Quem não quer essa fraqueza?
Quem pode fugir dessa fraqueza?
Beijos

29 de julho de 2009 11:03

flaviogps disse...

bom e velho Flashback.

29 de julho de 2009 12:34

Bia Maia disse...

Renatinha...

"Sua fraqueza? Sim.
A mais deliciosa delas, e também a mais letal "

Sempre divino estar por aqui...viajo em cada uma de suas palavras...

Acab de ler, fecho meus olhos e me imagino nesta cena...bom demais...

E viva o AMOR!!!

então,

beijo-lhe com meu amor!

Biazinha

29 de julho de 2009 15:09

Lis disse...

Oi querida,

Essas paixões avassaladoras nos fazem muito pensar na insanidade...mas também nos faz sentir viva...e fraca e forte, enfim, é mesmo uma loucura.

Beijos.

29 de julho de 2009 19:12

©tossan disse...

É dificil resistir, a carne está acostumada, vibra ainda e recuar é quase impossível. Beijo

29 de julho de 2009 23:48

D.Ramírez disse...

Que delicia!!!!!!!
Vc é demais Renata, escreve com uma intensidade impar. Consegue nsos levar para dentro do texto e não querer mais sair.
Besos

30 de julho de 2009 08:34

Sun disse...

Beijo mon amour, bom fim de semana :)

31 de julho de 2009 18:56

Eu ** disse...

Gostei..Segue meu blog?

beijo* Sigo o seu blog

3 de agosto de 2009 15:42

Postar um comentário