Olhou-o demoradamente,estava aterrorizado,implorou,chorou,rogou que não o deixasse.

Não sabia direito o que sentia, se era raiva, tristeza, rancor ou mágoa.

Muito do que havia passado era culpa de suas atitudes tresloucadas, sua vida fora toda em função dele, esteve sob seu domínio, vivendo, sentindo e fazendo tudo sem pensar, sem medir as conseqüencias, sua liberdade viceral a atraía, era impossível resistir.

Uma mistura de satisfação e ansiedade tomou conta de seu corpo, a sensação de estar com ele nas mãos era inexplicável, seu corpo tremia e o suor escorreu por suas costas.

Agora estava ali, indefeso, pronto para ser abatido.

Desferiu somente um golpe, e esse foi fatal.

Não chorou sua morte.

Olhou-o mais uma vez, seu coração,agora repousava inerte e sem vida.


Saiu sem olhar para trás, suas emoções já não existiam mais.
Seu peito estava vazio.


Agora estava vazia.

 
 
 
 

Postar um comentário 9 comentários:

Alisson da Hora disse...

Wow... lembrou meus velhos contos de assassinato... que não por acaso, sempre está ligado a uma situação mal resolvida...

belo clima, guria! ;)

besos

6 de outubro de 2009 18:38

Fabio disse...

esse vazio é muito dolorido. o vazio maltrata, mata aos poucos, enlouquece. não existe castigo maior que esse.

6 de outubro de 2009 19:45

Érica disse...

Achei bem simbólico.
Tá inspirada moça???
rsrsrs...
Lindo conto, lúdico, poético.
Adorei.
Beijos flor!

7 de outubro de 2009 09:07

Anônimo disse...

Bom saber que tudo era só um capricho egoico incompreendido, significa que não há mais nada a ser dito sobre esta suposta falta romantica de encontro perdido intitulado como Amor,do contrario, o que for dito daqui para frente pode comprometer este belo discurso de total liberdade! fim, então, que venha o novo!

7 de outubro de 2009 10:11

Sandra ' disse...

Discordo. Agora sim, ela estava preenchida de vida, seu coração finalmente conseguira livrar-se das correntes, finalmente ela estava livre para poder viver um grande e verdadeiro amor.



Um beijo enoooorme princesa! Vou tentar dar sinal de vida !

Ly

7 de outubro de 2009 20:33

Bia Maia disse...

Minha linda!

Você é estupidamente FANTÁSTICA!

Como vocêescreve bem!!!

Cada palavra deste seu post é PERFEITAAAAAAAA!!!

Já vivi isto e encaixa-se perfeitamente...

IMPRESSIONANTE..

E...quando ACABA...ACABA...

E que venha o novo então!

Beijos com muito amor!!

Biazinha

7 de outubro de 2009 21:57

Anônimo disse...

O vazio que ela sente ou que demonstra é sinônimo de independencia a não precisar de mais nada daquele que à incomodava, por ter sido dismistificado, por pura competiçao de ganho ensebado de um feitiço de sonho colorido de sinderela, liberdade não é se ver livre de algo para encontrar outra coisa, é um estado de conciencia plena e concentrado de paz, é o mais proximo que se pode chamar de Amor incondicional, que acolhe e cuida daquele que se encontra fraco em um dado momento,isso cheira mais em dar troco para se mostrar livre do outro,uma armadilha para si, ou um cair na real que nunca ouvi Amor com o outro!

7 de outubro de 2009 23:41

Renata Braga disse...

Gostei dos comentários...e das análises feitas.


Isso significa que estão realmente entrando no meu mundo.

Se bem, que muito do que escrevo aqui não passa de ficção.

Pena que não se identificam.


Mas... gostei igual.

8 de outubro de 2009 12:38

Fernando R. Silva disse...

Todo fim de relacionamento é uma morte. Não é à toa que chamamos os ex de falecidos(as).

Agora, bom mesmo é conseguir matar sem sentir coisa alguma. Grande privilégio estes têm. Já fui assim.

14 de outubro de 2009 16:08

Postar um comentário