- Onde esteve esse tempo todo?


- Por aí.


-Porque, fugindo de algo? Ou alguém?


- Estava com medo.


-De quê?


-Sofrer mais.


-E porque voltou?


- Mais uma tentativa.


- E perdeu o medo?


- Não. Mas a vontade de tentar e acertar é tão grande em mim, tão forte, tão viva, que mesmo caindo, mesmo chorando, mesmo achando que nada mais vale a pena, eu sempre volto.


- Mas isso não é um desgaste? Um sofrimento? Saber que "talvez" sofra, que chore, que se decepcione?


- Até pode ser, mas de que valeria a vida, que lembranças eu levaria? Algumas ruins, sim. Mas muitas maravilhosas, momentos meus que ninguém vai tirar.


- Isso para mim é impensável.


- Para mim. Não. E assim quero continuar, com meus meios estranhos, minhas fantasias loucas e insanas, minha emoção acima da razão, meus sonhos, meu jeito que muitas vezes é incompreendido, mas meu. Sem rodeios, sem meias palavras.



......



Olharam-se mais uma vez.

E ali despediram-se.


Foi a última vez que o viu.

 
 
 
 

Postar um comentário 13 comentários:

Érica disse...

A palavra do ano é: FLEXIBILIZAÇÃO!
Nem sempre porque os pensamentos são diferentes, ou as intenções não condizem, é o fim. De repente tudo é só uma questão de adptação ao outro. Mas... Talvez... Se não for pra ser mesmo, não vai ser e pronto.

Muito bom esse seu diálogo!!
rsrs

Beijos querida!

22 de fevereiro de 2010 10:40

Bia Maia disse...

Renatinha linda!

Como eu AMO este seu blog!!!

DEMAIS de bom!!

Me identifiquei 100% com seu texto....como sempre!

E acredito nisto mesmo...para mim, mas vale me levantar novamente e continuar acreditando, mesmo que possa doer....do que me tornar um ser apático...


Parabéns mesmo!!!

Beijos com muito carinho, menina linda!

Bia

22 de fevereiro de 2010 11:27

Juana disse...

tu tens msn ? orkut ? (:

22 de fevereiro de 2010 15:26

Tata disse...

ADOREI seu lay novo!

Tá lindo!

Se eu não me engano essa foto de cabeça de página é de uma boneca Blyte, não é? Uma bonequinhas cabeçudinhas lindas!Adoooro!

Vamos ao coment. A vida é isso. É transpor as barreiras do medo, aceitar que os possui e mesmo assim seguir em frente sem medo de os encarar de frente!

Como sempre muito bom Rê!

bjinhos

22 de fevereiro de 2010 16:17

unamed disse...

Não tenho comentários pra fazer sobre esse teu post.
É complicado, muuuuuuuuito complicado. Mas tb acho que não se pode "morrer" pro mundo não (apesar de muitas vezes desejar isso)
Bjo

22 de fevereiro de 2010 18:18

Fábio disse...

Não sei pq tá saindo como "unamed".
Fui eu quem escrevi isso aí em cima tá? hehehe

22 de fevereiro de 2010 18:19

Marcos Campos disse...

Oi Re!
Não dá pra gente não ser a gente mesmo!
Beijos!

23 de fevereiro de 2010 10:38

Celso Andrade disse...

TOCANTE, PARABÉNS PELAS BELAS PALAVRAS
O IMPORTANTE É SENTIR!

ABRAÇO

23 de fevereiro de 2010 11:26

Celso Andrade disse...

volto sim Renata-agora para te seguir, rs...

beijo

23 de fevereiro de 2010 12:11

Sarah Slowaska disse...

Renata Renata, como eu te entendo querida...

23 de fevereiro de 2010 18:23

Dilberto L. Rosa disse...

Tão bom fazer falta... Rs. Cá estou, a retribuir o carinho pontual dos últimos 'posts' (que bom que a reclamação surtiu efeito!!!)! Melhor ainda voltar e ver tudo "claro" por aqui! E mais: nestes diálogos "de uma boca só", onde aulas são dadas, porém, infelizmente, tem gente que não aprende mesmo, não é?! Mas é a vida... Como diria uma antiga amiga (esta, sim, sumida): "Sou madura: vivo caindo"! Abração!

24 de fevereiro de 2010 10:16

Lis disse...

Sabe, acho que "talvez" o segredo seja não sentir medo, simplificar...quer dizer...sei lá..."num" entendo muito :)))

Obrigada pelo carinho. O nova "pintura" do blog ficou legal, clean.

*uso pouquíssimo o msn, mas te mando por email.

Beijossss

24 de fevereiro de 2010 20:05

Ciça Ferreira disse...

OI!!!
Como é bom passar por aqui de novo. Mas principalmente, como é bom ler seus comentários tão otimistas e sinceros...
Espero ficar mais tempo pelo blog.

Beijinhos

25 de fevereiro de 2010 23:02

Postar um comentário